);

Notícia

Missão Técnica

segunda, 10 de junho de 2019
Referência mundial no varejo, Nova York será o destino de missão técnica de lojistas paranaenses

Foto: Pixabay

Maior centro de consumo de um país conhecido como um dos maiores polos do planeta. Assim é Nova York, um paraíso das compras. Logo, uma das melhores fontes possíveis de inspiração para quem vende. Uma missão organizada pelo Sebrae/PR e a Fecomércio PR vai levar à metrópole norte-americana 16 empresários paranaenses do setor varejista, para que conheçam as principais tendências do setor em primeira mão. 

“Os Estados Unidos são referência mundial em varejo. Além de feiras voltadas ao setor, são porto para tecnologias que serão aplicadas no segmento, como as lojas automatizadas, e uma série de processos que chegam primeiro lá e se tornam referência. É um diferencial conhecer experiências que daqui a seis meses, um ano, vão estar à nossa porta”, comenta o coordenador de Comércio e Franquias do Sebrae/PR, Luiz Antonio Rolim de Moura. 

A missão será entre os dias 8 e 16 de junho, e a programação inclui visitas a lojas, empresas e universidades nova-iorquinas. “Poderemos conversar com empresários e pessoas que estão atuando na prática, tudo isso de forma guiada e planejada, com suporte para que eles desenvolvam as melhorias no retorno”, acrescenta. 

Moura destaca que a missão é voltada ao varejo, mas numa perspectiva multiempresarial, com diferentes áreas de atuação. “Se ficar somente dentro do seu ambiente, onde você tem muitas certezas, às vezes não enxerga novas possibilidades”, comenta. Para o consultor, outro diferencial da viagem é o networking entre os próprios empresários paranaenses. “Eles podem desenvolver negócios e parcerias, é um processo de aprendizado 360 graus”, ressalta.  

Esta, inclusive, é uma das grandes expectativas do diretor de criação da VS Comunicação, de Curitiba, Jeferson Silveira. “Somos uma agência de comunicação e nosso foco é ver o que o pessoal faz em relação à experiência do consumidor no ponto de venda, no processo de compra e no relacionamento. E ainda há espaço para conhecer quem está indo junto, que tem uma visão equivalente à dos nossos clientes. É um laboratório”, ressalta. Silveira diz que já foi para Nova York, porém, há quase dez anos, tempo suficiente para que a cidade se transformasse. “É tudo muito dinâmico, eu sei que em muitos aspectos é uma cidade totalmente diferente. O ciclo de evolução é muito rápido quando comparado ao Brasil”, frisa. 

A empresária Andressa Kucinski, dona da loja de confecções Gaúcha Megastore, de Cascavel e Foz do Iguaçu, conta que também já esteve em Nova York, mas como turista. Agora, o olhar é diferente. “É claro que a gente que trabalha com varejo, sempre que entra numa loja, observa o que é possível aplicar no nosso caso. Mas a expectativa agora é muito grande, vou totalmente focada. Espero encontrar muita coisa ligada à Inteligência Artificial, visual merchandising e ambientes ‘instagramáveis’. As empresas produzem esses ambientes pensando em qual sensação eles vão criar no consumidor, para que eles tirem fotos e postem no Instagram. É uma tendência muito grande de mídia espontânea”, explica.

As mudanças tecnológicas e nos hábitos de consumo, cada vez mais rápidas, exigem atualização constante dos empresários, avalia o assessor da presidência da Fecomércio PR, Paikan Salomon de Mello e Silva. “É uma imersão no sentido prático, de ver de que forma esses comércios e empresas conseguem se destacar num mercado tão competitivo como o de Nova York, que foi escolhido em cima de pesquisas. O que temos feito é trazer as boas práticas e implementá-las de forma personalizada. O nosso objetivo é capacitar os empresários, para que eles se tornem cada vez mais competitivos, defendendo os empregos que já existem e, se possível, aumentando o número de vagas”, ressalta. 

Délcio Dario Martini, dono da loja Martini, de Francisco Beltrão, especializada em eventos e equipamentos fotográficos, já conseguiu resultados assim em sua primeira viagem à cidade norte-americana e, agora, espera ampliar os lucros. “Depois da primeira vez que fui, há cinco anos, mudei muita coisa em minha loja, instalei um painel de LED na fachada, com imagens dos nossos serviços. Eu me baseei na Times Square. Na área de formaturas, aumentamos o número de clientes expressivamente. Você acaba vendo muita coisa nova. Sempre damos um salto com essas inovações e isso dá respaldo à empresa”, completa. 

Fonte: Assessoria de Imprensa Sebrae